Imprimir

JMJ: A Cruz das Jornadas

 

A Jornada Mundial da Juventude é acompanhada pelos seus dois símbolos: A Cruz do Ano Santo e o Ícone da Virgem Protetora do Povo Romano. Durante a Jornada Mundial da Juventude os símbolos estão presentes no lugar dos Atos Centrais.Durante o período da preparação peregrinam pelo país organizador do encontro.

Os símbolos ensinam as seguintes gerações de jovens qual é o verdadeiro objetivo da Jornada Mundial da Juventude: conhecer mais profundamente a Cristo no Mistério da Redenção e entregar a vida à Mãe de Deus.

A CRUZ

A cruz de madeira, hoje conhecida com a " Cruz da Jornada Mundial da Juventude" foi fabricada 1983 por ocasião do inicio do Ano Santo da Redenção (25.03.1983 – 22.04.1984). Durante a celebração da abertura do Ano Santo, os jovens entraram com a dita Cruz na Basílica de São Pedro na qual permaneceu todo o Jubileu. Foi colocada junto ao sepulcro de São Pedro e estava presente nas celebrações acompanhando os grupos de peregrinos que visitavam o Vaticano. Entre eles não faltavam os jovens: representante dos movimentos e comunidades que juntos responderam o convite do Santo Padre.

Foram eles que pediram ao Papa que lhes a entregassem após o término das celebrações. O Santo Padre atendeu ao pedido e no Domingo da Ressurreição lhes entregou a Cruz do Jubileu com as seguintes palavras:

"Confio a vocês mesmos o sinal deste ano Jubilar. A Cruz de Cristo! Levada pelo mundo como sinal do amor do Senhor à humanidade e anuncia que somente em Cristo morto e ressuscitado existe salvação e redenção." São João Paulo II

Este acontecimento foi o começo não somente da peregrinação da Cruz por todo o mundo, mais também o anúncio da Jornada Mundial da Juventude, ou seja, o encontro durante o qual os jovens, que em primeiro lugar experimentam pessoalmente o mistério da redenção do homem e logo a levam pelo mundo com seus conterrâneos, famílias e compatriotas. Por isso a primeira Jornada Mundial da Juventude (até hoje a Jornada da Juventude nas dioceses) se celebra no Domingo de Ramos, como entrada da Páscoa.

A princípio os jovens levaram a cruz para sua casa, quer dizer, ao Centro de São Loureço, a casa dos jovens fundada por São João Paulo II no Vaticano. A cruz permanece aí de maneira fixa e a partir daí, é levada pelos jovens, saindo de viagem. Primeiro ao Dia dos Católicos na Alemanha(1984) e logo a outros países europeus. Em 1987 em Buenos Aires teve lugar a II Jornada Mundial da Juventude (a primeira foi na Itália) e aquele então pela primeira vez levaram a cruz fora da Europa dando o começo da sua peregrinação por todo o mundo.

Ate hoje em dia, a cruz esteve em todos os continente incluindo os países de guerra e conflito. Os jovens a levam tanto aos santuários e lugares de culto como as partes que necessitam diariamente dos testemunhos de fé. Junto a ela rezaram no lugar do atentado ao Word Trade Center em Nova Yourk e em Ruanda que lutava contra os efeitos da sangrenta guerra civil. Visitou a sede da ONU como também as pequenas escolas, hospitais e cárceres.

Desde 14 de abril de 2014 a Cruz com o ícone da Virgem Salus Populi Romani peregrinam pelas dioceses da Polônia preparando-os para a Jornada Mundial da Juventude.

Fonte: www.krakow2016.com