Imprimir

Encontro de Formação JMV

 

Nos dias 31 de Janeiro e 1 de Fevereiro, realizou-se na Casa das Filhas da Caridade situada em Fátima, o Encontro Nacional de Formação com o tema “Projeta-te na Alegria do Evangelho”. Este encontro é destinado aos elementos responsáveis pela animação e formação dos grupos, mas também para preparar próximos animadores.

Na manhã de sábado, fomos divididos por grupos e desafiados a ir às ruas fazer um pequeno questionário, perguntando às pessoas se eram alegres, se achavam que a alegria era algo importante para o cristão e para a sua vida cristã e depois do almoço, analisámos as respostas. Concluímos, que a Alegria é essencial para um cristão, não podemos ser cristãos se não somos alegres, só podemos falar do Evangelho com um sorriso na cara.


À medida que vimos as respostas que obtivemos, com a ajuda do Diácono Luís, que foi um excelente orador e uma presença que animou todos os que estavam no encontro, percebemos que o cristão é ser alegre e não estar alegre, estar é algo momentâneo e não corresponde ao nosso sentido de vida como um todo. Depois estudámos partes da Exortação Apostólica “A Alegria do Evangelho”, no qual o Papa Francisco faz o alerta de qual é a verdadeira mensagem e como devemos transmiti-la ao outro. Temos de ser Igreja “em saída” e, sendo nós a Igreja, somos nós que transmitimos. Nós somos a Igreja, não nos podemos esquecer disto!


A seguir ao jantar, aprendemos e colocámos em prática como utilizar a Palavra de Deus nas nossas orações através da Lectio Divina. Primeiramente escolhemos uma leitura e lemo-la, o segundo passo é refletir, aplicar a leitura nos dias de hoje, terceiro passo é conversar com Deus, agradecer e/ou pedir perdão e por último, quarto passo, “o que fazer?”. Depois do momento de reflexão e partilha foi exibido o filme “Deus não está morto” que recomendo a todos.


O domingo começou com a Eucaristia e voltámos aos trabalhos. Em grupos analisámos os trechos que foram destinados. Os 8 grupos analisaram diferentes partes dos Capítulos II e III: lemos, fizemos um pequeno resumo do que estava escrito e apresentámos propostas para solucionar os problemas na Igreja atual.


Excelentes ideias e reflexões surgiram e não eram ideias para melhorar só os nossos grupos, mas ideias para melhorar toda a Igreja. Não é só a economia que tem crise, a Igreja também, mas nós somos jovens discípulos missionários e temos o papel de melhorar a nossa igreja, mas temos que começar por nós mesmos, deixar a preguiça, deixar de ter medo, deixarmos de ser fechados e fazer o que o Papa Francisco pede…uma Igreja “em saída”.


E não podia acabar este texto sobre a alegria de outra forma…contando uma anedota (Obrigado Pe. Fernando).


Um homem dá entrada num mosteiro muito rigoroso, onde só podia dizer duas palavras ao fim de cada cinco anos. Passados cinco anos, o abade chama-o ao seu gabinete e diz:
- Irmão, andaste muito bem neste cinco anos. Quais são as tuas duas palavras?
- Comida fria! – disse o monge.
- Oh lamento, retorquiu o abade. – Irei resolver isso.
Passados mais cinco anos, o monge volta a ser chamado.
- Olá irmão, que gostarias de dizer ao fim de dez anos?
- Cama dura!
E o abade responde:
- Oh, lamento imenso! Vamos tratar imediatamente disso.
Mais cinco anos passaram e o monge volta a estar com o abade, este diz:
- Bem, Irmão, já la vão quinze anos. Que queres dizer?
- Vou embora!
E o abade não se contém:
- Pois bem, não me espanta nada. Desde que chegaste, não páras de te queixar.

Sejam cristãos alegres porque não há outra maneira de ser cristão.

Anita

 

Pensa um pouco:

“O cristão acolhedor é um verdadeiro dom para a Igreja, porque a Igreja é Mãe e uma mãe acolhe a vida e a acompanha”

Papa Francisco

Audiência com a Família Vicentina

Vaticano, 15 outubro 2017

Visitas

928147
HojeHoje853
TotalTotal928147