Imprimir

O ontem, o hoje e o amanhã do novo Centro Local da JMV de Portugal

Uma realidade de Portugal…

No Encontro Europeu da JMV em Nápoles, em novembro de 2012, um dos aspetos mencionados que caraterizava positivamente Portugal era o facto de este ser praticamente o único Pais em que os novos centros locais da JMV surgiam em novas paróquias impulsionados por jovens JMVs que já se encontravam no movimento há alguns anos e não através dos colégios dos Padres e Irmãs Vicentinas.

O Centro Local da Charneca, que será oficializado dia 11 de janeiro de 2015, confirma exatamente este aspeto referido durante o Encontro Europeu.

 

Como tudo começou...

(um testemunho na primeira pessoa)

Em novembro de 2011, senti que por diversos motivos (essencialmente emprego e distância da paróquia) começava a ser complicado estar presente na minha paróquia e, por conseguinte, no meu Centro Local JMV (Paialvo). Deparei-me com aquela pergunta que, para muitos jovens, é o ponto de viragem da sua vida cristãs “E agora? Vou afastar-me da vida em Comunidade Cristã e do movimento porque já não consigo estar na minha paróquia?”

Esta pergunta ficou a remoer-me durante alguns meses, enquanto insistia em fazer verdadeiras “piscinas olímpicas” para conseguir estar na Paróquia. Mas foi só ao final de alguns meses que percebi a resposta: “Liliana, como qualquer jovem cresceste muito na JMV e, em parte, aquilo que crescente foi exatamente para te preparar para este momento, sair da tua paróquia e partir para onde fores precisa!”

Perante dois caminhos, escolher deixar de ter vida em Comunidade Cristã e ficar certamente mais afastada de Deus ou escolher inserir-me noutra paróquia, eu escolhi aquela para a qual a JMV nos prepara - “nunca nos afastarmos da comunhão fraterna que se encontra numa Comunidade Cristã!” - e fazer aquilo que o Papa Francisco nos refere – “sejamos uma Igreja em saída”, “ao encontro do irmão” e “em comunhão fraterna”.

Assim, a 17 de maio de 2012, depois de questionar a Irmã Alzira Santos sobre se conhecia alguma paróquia que precisasse de ajuda na área de Lisboa, conheço pela primeira vez a Paróquia da Charneca do Lumiar, participando numa Eucaristia, onde fui acompanhada pela Irmã Graça Pires (irmã vicentina que se encontrava a dar catequese na paróquia na altura).

Deste primeiro impacto ficará para sempre o olhar de simplicidade e de adoração das pessoas durante a Eucaristia. Daí foi-me pedido para ser catequista. Contudo, e apesar de todo o meu entusiasmo, uma vez que a catequese estava quase a terminar tive de aguardar até setembro desse ano para me inserir de forma mais ativa na Paróquia.

É então que, em setembro desse ano começo uma caminhada catequética com um grupo do 10.º ano da catequese (claramente uma jogada de Deus!). Durante esse ano, ao acompanhar/guiar os jovens nesta fase da vida deles, tornou-se inevitável não indo transmitindo aos poucos o meu testemunho como jovem JMV que sou, e indo assim incutindo neles o desejo de serem jovens cristãos mais comprometidos na vida da comunidade ao jeito de Maria e São Vicente Paulo. Foi também um ano para eu própria conhecer a realidade desta nova paróquia e conhecer/estabelecer laços com as pessoas da comunidade, que fazem agora com que chame de casa a esta “minha nova” paróquia.

A 30 de julho de 2013 os “meus jovens” (como carinhosamente os apelido) vivem, após um ano de preparação, o sacramento da Confirmação e fazem, como um dos vários compromissos, o compromisso de viverem a sua fé cristã na paróquia como grupo de jovens assente na espiritualidade Mariana e Vicentina.

Assim a setembro de 2013, depois de um período de férias, e tendo já um ano em que foram conhecendo a JMV (inclusivamente participando em encontros da JMV), iniciaram uma caminhada na paróquia como grupo. Durante este primeiro ano foram vivendo vários momentos: decoração de uma das salas da casa paroquial cedidas pela paróquia, como espaço JMV; reuniões de formação de iniciação na associação; atividades caritativas (visitas a lares; visitas a pessoas com deficiência; visitas domiciliárias a idosos); participação pontual na animação de Eucaristia; ajuda na preparação de orações com a catequese; atividades com a catequese; realização de uma manifestação de fé pelas ruas da paróquia; participação em procissões; participação em encontros JMV, entre outras atividades.

Em setembro de 2014 distribui-se, pela primeira vez, os serviços JMV pelos jovens (com exceção do serviço presidente, secretário e tesoureiro) como resposta ao facto de estes já apresentarem um maior conhecimento e consciencialização do que é a associação. É nesta fase que se veem reunidas as condições de o grupo pedir a oficialização do na Associação JMV, em resposta ao imenso desejo que existe no coração deles. Deste modo, em novembro os jovens escrevem a carta com o pedido e inicia-se o processo para a oficialização do centro Local da Charneca.

Após estes dois anos e meio na Paróquia da Charneca, em que vários jovens já contactaram com a JMV, em que uns se foram afastando, outros permanecendo, e mesmo outros entrando em contacto com ela, não deve de modo algum ser posto de parte a abertura e recetividade da Paróquia! Esta foi e é incansável em estar disponível e apoiar os jovens para que assim nascesse um grupo de jovens com a espiritualidade Mariana e Vicentina. É de louvar toda a fé e confiança que a paróquia deposita neles, apesar (e de como é normal num grupo de jovens) estes muitas vezes terem os seus sobressaltos na caminhada cristã. Foram dois anos e meio que tiveram momentos bons e momentos menos bons, como faz parte de um caminho feito com e para os jovens, para e com Deus!

Acredito que estes jovens têm ainda muito a crescer (como muitos outros) e que ainda são “pequenos” irmãos no saber “o que significa participar e viver em paróquia”. Contudo, acredito e sei que na JMV os frutos vão surgindo aos poucos e de forma quase impercetível nas coisas do dia-a-dia mas que ao final de alguns anos se revelam autênticas caminhadas de fé!


Uma prece…

Irmãos, Paróquia da Charneca e jovens da JMV peçamos a Deus que continue a guiar os passos destes seus filhos, que anseiam cada vez mais ser imagem de Jesus Cristo! Em resposta as vossas orações este jovens desejam ter presente nas suas orações os restantes irmãos, vivendo assim cada vez mais em comunhão fraterna nesta nossa família!

 

Liliana Troeira

 

 

 

 

Pensa um pouco:

“O cristão acolhedor é um verdadeiro dom para a Igreja, porque a Igreja é Mãe e uma mãe acolhe a vida e a acompanha”

Papa Francisco

Audiência com a Família Vicentina

Vaticano, 15 outubro 2017

Visitas

1150915
HojeHoje91
TotalTotal1150915