Imprimir

V Jornadas da JMV Paialvo


No passado dia 04 de Outubro, a Juventude Mariana Vicentina de Paialvo realizou as V Jornadas da JMV, com o tema “Quanto tempo o tempo tem?”.

Esta atividade anual pretende dar formação sobre temas que complementem a caminhada catecumenal na JMV e de formação dos grupos de forma mais aprofundada, marcando assim o início de mais um ano JMV e de ano Pastoral.Este ano o tema escolhido foi o “Tempo”, pois sentimos que na atualidade é cada vez mais urgente perceber de que forma utilizamos o “nosso Tempo”. Numa sociedade que exige cada vez mais de nós, onde a diversidade de ocupações é cada vez maior, o Tempo é contabilizado ao máximo, e muitas vezes somos seduzidos a utilizá-lo de forma egocêntrica. Por vezes falta-nos tempo para coisas importantes como Deus ou a Família.

Depois de um breve briefing, começámos por visualizar um filme introdutório sobre o efeito do tempo no ser humano, pois este, como todos sabemos, envelhece!

Seguiu-se uma dinâmica que pretendeu envolver os participantes na perceção do tempo, pois sabemos que normalmente as coisas que nos trazem maior motivação são também aquelas que normalmente “sentimos” serem as mais rápidas a “passar”.

Entrámos finalmente no tema e procurámos perceber a história do Tempo, e de como as sociedades o começaram a contar, que mecanismos usaram para contabilizar a passagem do Tempo e a sua importância para as diferentes civilizações.

Seguiu-se uma outra dinâmica onde se pretendia que, em dois grupos, os participantes fizessem a sua análise de dois textos, que efetivamente eram a letra de duas músicas da atualidade. Foram evidenciados vários aspetos entre os quais a importância de utilizar o “nosso tempo” com qualidade, e que na sociedade existem ciclos onde coisas do tempo passado tornam-se presentes, muitas vezes pelo contexto em que estamos inseridos.

Refletimos sobre as diferenças de gerações e sobre os conflitos geracionais que existem entre pessoas com idades distintas a viverem em conjunto na mesma sociedade e por “sentirem ser” de Tempos diferentes.

Foi abordado também a forma como organizamos o nosso Tempo, sobre quanto tempo atribuímos a Deus (às “coisas” de Deus), a nós próprios, aos outros, e a sua importância para a nossa vida, pois o Tempo é algo que não pára. Vivendo constantemente com stresse e com inúmeras coisas para fazer, é fácil esquecermo-nos de Deus ou de dar tempo ao próximo, tendo sido partilhado que muitas vezes temos de nos desocupar de algumas coisas para “dar Tempo a Deus” e Ele possa ter “espaço” nas nossas Vidas.

Por fim realizámos uma oração onde pudemos refletir sobre o que falámos durante as jornadas.

Foi uma atividade muito produtiva onde entre palestras, jogos, dinâmicas e músicas fomos aprendendo muitas coisas sobre as quais nunca nos tínhamos questionado e que nos permitiram ver a realidade de uma perspetiva diferente, para podermos no futuro, organizar melhor o nosso Tempo.

 

Fábio Mendes e Ricardo Ferreira

JMV Paialvo

 

 

 

Pensa um pouco:

“O cristão acolhedor é um verdadeiro dom para a Igreja, porque a Igreja é Mãe e uma mãe acolhe a vida e a acompanha”

Papa Francisco

Audiência com a Família Vicentina

Vaticano, 15 outubro 2017

Visitas

1150913
HojeHoje89
TotalTotal1150913