Imprimir

Mary, did you know?

 

A versão à capela do Grupo Pentatonix da canção “Mary did you know?”, tem tido um grande êxito: no dia 3 de Dezembro contava já com 14 milhões de visualizações no YouTube.

 

História da canção

Mary, did you know? foi composta em 1984 por Buddy Green (música) e Mark Lowry (letra), dois cantores de gospel muito conhecidos, que tiveram nesta canção o seu grande êxito. Escreveram-na a pedido do seu pastor, que lhes pediu uma música original para a “festa de Natal da comunidade”. A canção foi um sucesso, mas não a gravaram antes de 1992. Depois disso, conheceu varias versões, entre elas, a do cantor country Kenny Rogers.

Os seus novos intérpretes, Pentatonix, são um grupo de vocalistas texanos que cantam à capela ou quase sem acompanhamento musical. Em 2011 ganharam o programa The Sing-Off da NBC, e deram um salto absoluto para a fama. São cinco amigos (Avi Kaplan, Kevin Olusola, Kirstie Maldonado, Mitch Grassi e Scott Hoying) que não só cantam, mas também trabalham com particular virtuosismo a chamada percussão vocal, e ainda que cantem usando todos os géneros musicais (rock, country, hip-hop), especializaram-se em temas natalícios.

 

Explicação teológica

Mark Shea, um antigo protestante evangélico que se converteu há anos ao catolicismo, analisou as perguntas desta canção. E concluiu que é uma boa canção para aproximar a figura de Maria dos protestantes, mas que a forma como está escrita, em perguntas, parece querer por em dúvida alguns ensinamentos que para o catolicismo, a Tradição e as Escrituras estão claras.

Vamos lá ver, em primeiro lugar a sua letra:

Maria, tu sabias que o teu Filho caminharia sobre as águas?
Maria, tu sabias que o teu Filho salvaria os nossos filhos?
Sabias que o teu Filho veio para renovar-te?
Este Filho a quem geraste, gerou-te logo a ti?

Maria, tu sabias que o teu Filho dará vista a um cego?
Maria, tu sabias que o teu Filho acalmará a tempestade com a sua mão?
Sabias que o teu Filho subirá até aos anjos?
Que quando beijas o teu Filho, beijas o rosto de Deus?

Os cegos verão.
Os surdos ouvirão.
Os mortos voltarão à vida.
O coxo saltará.
O mudo cantará as glórias do Cordeiro.

Maria, tu sabias que o teu Filho é o Senhor da Criação?
Maria, tu sabias que o teu Filho reinará um dia sobre as nações?
Sabias que o teu Filho é o perfeito Cordeiro celestial?
O Menino que dorme em teus braços é o Altíssimo, o EU SOU.

Mark Shea analisa, primeiro, algumas perguntas: “Maria, tu sabias que o teu Filho dará vista a um cego? Maria, tu sabias que o teu Filho acalmará a tempestade com a sua mão?” E responde: “Não, Maria não era omnisciente e, por isso, não podia prever cada acto em particular de seu Filho. Vejamos, por exemplo, a história da perda e encontro do Menino Jesus no Templo em Lucas 2,41-51”.

Pergunta seguinte: “Maria, tu sabias que o teu Filho salvaria os nossos filhos?”

Mark Shea responde que sim, Maria sabia isto: Jesus (Yeshua) significa “Deus salva”. E Ela mesma canta que “o meu Espírito exulta em Deus meu Salvador”. Sabia que tudo no mundo devia ser salvo pela descendência de Abraão, “como tinha prometido a nossos pais, a Abraão e à sua descendência, para sempre (Lucas 1, 54-55). O nome de Jesus foi indicado pelo anjo Gabriel: “Hás-de conceber no teu seio e dar à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus.” (Lucas 1,31).

Podemos acrescentar, ainda, que Maria sabia aquilo que o anjo tinha dito em sonhos a José (pois seria muito difícil que Mateus o soubesse por alguém que não fosse Maria ou alguém muito próximo). “Andando ele a pensar nisto, eis que o anjo do Senhor lhe apareceu em sonhos e lhe disse: «José, filho de David, não temas receber Maria, tua esposa, pois o que ela concebeu é obra do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, ao qual darás o nome de Jesus, porque Ele salvará o povo dos seus pecados»” (Mateus 1, 20-21). Se o próprio anjo explica que “Ele salvará os povos dos seus pecados”, fica claro que José e Maria sabiam, como pregunta a canção, “que o seu Filho salvaria os nossos filhos”.

A canção continua: “Sabias que o teu Filho veio para renovar-te? Este Filho a quem geraste, gerou-te logo a ti?”

Mark Shea diz que Maria sabia que ela tinha sido renovada, isto é, que era Imaculada, sem pecado algum, porque o anjo a saudou chamando-a: “Kekaritomene”, isto é, “cheia de graça”.

A canção pergunta: “Que quando beijas o teu Filho, beijas o rosto de Deus?”

Mark Shea sublinha que ela sabia porque o anjo lhe disse isso mesmo, “Será chamado Filho do Altíssimo” e porque o anjo a tinha avisado do que lhe havia de suceder ao dizer: “Hás-de conceber no teu seio e dar à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus. Será grande e vai chamar-se Filho do Altíssimo. O Senhor Deus vai dar-lhe o trono de seu pai David, reinará eternamente sobre a casa de Jacob e o seu reinado não terá fim” (Lucas 1, 31-33).

E prossegue: “Maria, tu sabias que o teu Filho é o Senhor da Criação? Maria, tu sabias que o teu Filho reinará um dia sobre as nações?”

Mark Shea diz que Maria sabia, pois conhecia muito bem o livro de Daniel (Daniel 7, 13-14) onde se enumera os títulos do Messias prometido, o Filho do Homem: “Foram-lhe dadas as soberanias, a glória e a realeza. Todos os povos, todas as nações e as gentes de todas as línguas o serviram. O seu império é um império eterno que não passará jamais, e o seu reino nunca será destruído”. Mais tarde, Jesus foi chamado muitas vezes “Filho do Homem”.

De resto, o anjo na Anunciação foi bastante claro quando disse a Maria: “Será grande e vai chamar-se Filho do Altíssimo. O Senhor Deus vai dar-lhe o trono de seu pai David, reinará eternamente sobre a casa de Jacob e o seu reinado não terá fim” (Lucas 1,32-33).

Mark Shea considera que em alguns ambientes protestantes “desenvolveu-se o mito de que Maria não tinha ideia de quem era Jesus e de que Jesus era hostil a Maria”. A isto, ele responde dizendo que, na realidade, “Ela foi o seu maior discípulo…Ela sabia que era a Mãe do Filho de Deus desde o princípio. E quanto mais cedo compreendermos isto, mais cedo perceberemos, também, o que é necessário fazer para ser discípulo de Jesus”.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo! Para sempre seja louvado e sua Mãe, Maria Santíssima.

 

Pe. Fernando Soares,

Assessor Nacional

 

 

 

 

Pensa um pouco:

“O cristão acolhedor é um verdadeiro dom para a Igreja, porque a Igreja é Mãe e uma mãe acolhe a vida e a acompanha”

Papa Francisco

Audiência com a Família Vicentina

Vaticano, 15 outubro 2017

Visitas

589308
HojeHoje543
TotalTotal589308