Imprimir

Dia 10

Gosto de olhar, mas os meus olhos são pequenos,
Demasiado pequenos
Para eu ver o lado de lá das coisas.

Olho e adivinho a vida,
Mas só lhe vejo a carapuça dura,
Por vezes selvagem.
O amor acena-me, mas só posso contemplar-lhe
Algumas flores, alguns frutos,
E deixo escapar a seiva.
E sofro atrás do meu vidro espesso, choco-me nele,
E, por vezes, firo-me cruelmente,
Quando o coração se me enevoa
E se me ensombrece o caminho.
Mas tu deste-me, Senhor,
Uns olhos para ver os meus irmãos,
Uns pés para caminhar até eles e para pisar terra firme!
Senhor, poderei eu andar de olhos fechados, a recusar o dia?
Poderei mesmo recusar o que está a minha volta?
Eu quero ver quando olho, mas os meus olhos são pequenos,
Demasiado pequenos, para contemplar o além.


Por que nos deste, Senhor, uns olhos que têm tanta dificuldade em Ver, A TUA VIDA, para além da vida, o TEU AMOR, para além do amor?


Maria, via e sentia tudo o que estava à sua volta e guardava-o no seu coração. Encontra-A no teu coração e reza uma dezena pedido que Ela te ajude a abrir horizontes no olhar.

 

Pensa um pouco:

“O cristão acolhedor é um verdadeiro dom para a Igreja, porque a Igreja é Mãe e uma mãe acolhe a vida e a acompanha”

Papa Francisco

Audiência com a Família Vicentina

Vaticano, 15 outubro 2017

Visitas

1131190
HojeHoje28
TotalTotal1131190